Segunda-feira, 11 de Janeiro de 2010

Um precioso instrumento de trabalho

 

Como se costuma dizer, mão amiga fez-me chegar, via correio aéreo, um utilíssimo livro, intitulado simplesmente, Glossário do Jazz  (sendo que me permito utilizar o termo "mão amiga" em relação a quem teve a amabilidade da iniciativa... mas que não tenho o prazer de conhecer pessoalmente!). 

 

Ora o amigo em questão é Mário Jorge Jacques que, nestes tempos em que tudo ou quase tudo pode ser investigado  (no bom sentido da palavra)  – por exemplo, pesquisando na Net –,  vim a descobrir ser chegado à minha geração e, pelas actividades desenvolvidas ao longo dos anos, ter um percurso que, em termos de amadorismo e divulgação do jazz, parece sugerir em alguns aspectos uma certa analogia.  (ver mais abaixo dados biográficos encontrados e descarregados, com a devida vénia, via Internet).

 

 

Indo ao que interessa, o certo é que Mário Jorge Jacques trabalhou ao longo de 17 anos na elaboração deste livro que já vai na 2ª. edição e que desde já se aconselha uma vez que, para além de ser o primeiro e único que conheço em língua portuguesa com este desenvolvimento  (ISBN: 978-85-7893-002-8, 528 pág.),  é, acima de tudo e também por isso, um precioso instrumento de trabalho  (1 733 entradas),  nele estando compilados de forma quase exaustiva termos de referência relativos à história do jazz, aos locais gloriosos que o viram nascer, passar e crescer, aos seus instrumentos mais importantes, editoras, alcunhas de músicos, revistas e instituições, bem como à terminologia e noções básicas desta música única e incomparável que tanto amamos.

 

Ao autor, as maiores felicitações pela inciativa e pela qualidade do trabalho  (ainda que a escassez do tempo só tenha permitido uma apreciação na diagonal)  e ao visitante d’ O Sítio do Jazz a informação de que poderá ter acesso ao livro via Amazon e saber ainda mais alguns dados sobre o mesmo visitando o sítio da Biblioteca 24x7.

 
 
Sobre o autor:
 

“Nascido a 23 de Abril de 1941 no Rio de Janeiro, já na infância apreciava música escutando uma série de discos de sinfonias, concertos, óperas e alguns populares, incluindo um da Orquestra de Glenn Miller cujo tema era Anvil Choir (Coro dos Ferreiros). Esta execução soberba de Miller com intenso suingue e solos de saxofone tenor, trombone e bateria, instrumentos até hoje de sua preferência além do piano, foi o primeiro contato com a música norte-americana e com o Jazz e o tal disco rodou centenas de vezes.
 
Em 1954 o filme High Society em que atuam a banda de Louis Armstrong e mais Frank Sinatra e Bing Crosby despertou de vez o gosto e o interesse pelo Jazz. Nos anos de 1958-59 um programa de rádio "Em Tempo de Jazz" liderado por Paulo Santos diariamente apresentava o melhor em música de Jazz. O próprio Paulo organizou um grupo chamado Octeto Em Tempo de Jazz, primeira audição ao vivo assistida em um clube do Rio. 

 

Daí em diante o Jazz foi parte incontestável de seu interesse iniciando pela pesquisa de gravações das décadas de 20, 30 e 40 difíceis de se conseguir no Brasil à época. Na pesquisa da história e origens do Jazz iniciou uma romaria pelas lojas de livros, discos e os tradicionais sebos. Em 1986, sendo um reiterado ouvinte do programa “O Assunto é Jazz” pela Rádio Fluminense FM de Niterói, compareceu ao programa por ter acertado um Jazz-teste e se tornou amigo do produtor e apresentador Luiz Carlos Antunes. 

 

Do seu grande interesse pelo Jazz Tradicional acabou sendo convidado a produzir a seção Museu de Cera onde apresentava gravações antigas e históricas desde a primeira sob a chancela de música de Jazz em 1917 e assim o fez durante 10 anos. Da comunidade de jazzófilos em torno desse programa com troca constante de idéias surgiu o Curso de Jazz patrocinado pelo Museu do Ingá de Niterói tendo sido então convidado a apresentar a palestra “O Jazz No Início do Século” historiando a música norte-americana desde os primórdios da colonização até a formação do Jazz no início do século 20. 

 

Foi um dos fundadores do Clube de Jazz do Museu do Ingá que se seguiu ao curso, hoje Clube de Jazz de Niterói, onde apresentou várias palestras com os temas: “As Raízes e a Formação do Jazz” também proferida na Universidade da Cidade no Rio, “O Jazz de Chicago”, “Fletcher Henderson”, “O Blues”, “O Jazz e a Dança” e “Do Outro Lado do Jazz”. Em 1991 participou como palestrante do “Chorus I - Encontro dos Ouvintes de Jazz” em Atibaia (SP). Colecionador de vídeos sobre música de Jazz durante 12 anos forneceu material para o "release" de imprensa que antecedia o “Free Jazz Festival”, atualmente “Tim Festival”. 

 

Em 2006 passou a integrar a equipe de editores do blog “CJUB - Charuto Jazz”, sobre Jazz e Bossa Nova, produzindo a série “Museu de Cera” regularmente com texto e exemplos musicais.  Editou a série – “Do Outro Lado do Jazz” em 25 capítulos com objetivo de apresentar alguns aspectos ligados de alguma forma à música de Jazz.  Tem escrito também vários artigos para o site do Hot Club de Piracicaba.  Engenheiro em Telecomunicações trabalhando em Furnas Centrais Eléctricas se aposentou em 1992 e há 17 anos iniciou a pesquisa do “Glossário do Jazz”.”

 


 

 

Tags:
Publicado por Manuel Jorge Veloso o_sitio_do_jazz às 12:18
Link para este post

Área pessoal

Pesquisar neste blog

 

Outubro 2014

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31

Posts recentes

Um precioso instrumento d...

Arquivos

Outubro 2014

Maio 2012

Abril 2012

Fevereiro 2012

Dezembro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Tags

achados no baú

achados no baú (14)

achados no baú (15)

achados no baú (16)

achados no baú (17)

achados no baú (18)

achados no baú (19)

achados no baú (20)

achados no baú (21)

achados no baú (22)

achados no baú (23)

achados no baú (24)

achados no baú (25)

animação

ante-estreias

ao vivo

àpartes

arquivos

artigos de fundo

balanços

blogs

boas festas

bónus de verão

cinema

clubes

colectâneas

concertos

concertos internacionais

concertos portugueses

cooncertos

dedicatórias

descobertas

desenhos

directo

discos

discos em destaque

discos estrangeiros

discos nacionais

distribuidoras

divulgação

documentos históricos

editoras

editoriais

editorial

efemérides

em directo

ensino

entrevistas

escolas

escutas

férias

festivais

fotografia

gravações ao vivo

grupos estrangeiros

história

história afro-americana

homenagens

hot clube

humor

internet

intervalos

jazz

jazz ao vivo

jazz no cinema

leituras

links

live stream

livros

mp3

música sinfónica

músicos

músicos estrangeiros

músicos internacionais

músicos portugueses

músicos residentes

músios estrangeiros

natal

novos discos

obras-primas

pavões

pessoas

podcasts

portugal

prémios

primeira audição

produtores

produtores estrangeiros

r.i.p.

rádio

recursos

reedições

televisão

um bónus de verão

um toque de jazz

video-clip

vídeos

village vanguard

visionamentos

visitas

todas as tags

Links

Subscrever feeds